Principal
Advogados
Artistas / Autores
Associações
Auto-Escolas
Beleza / Saúde
Condomínios
Contabilidade
Creches
Diversão / Esportes
Design de Interiores
Identificação
Locação de Veículos
Máquinas de Costura
Marmores / Granitos
Médicos
Portais Diversos
Prefeituras
Produtos Naturais
Toners / Cartuchos
Segurança
Serviços de Internet
Sondagem de Solo
Treinamentos
  
  
  
 
Dicas de Quem Entende
 
18/06/2014
Empreendedor
Não se preocupe em pagar contas. Se preocupe em fazer mais dinheiro!
Qual é a primeira coisa que pensamos quando caímos na realidade de que nossa conta bancária está no negativo, nosso cartão de crédito estourou e os cobradores não param de ligar? Em pagar nossas dívidas evidentemente! Mas o que venho chamar atenção hoje é que dedicamos muita atenção às nossas dívidas desperdiçando esse precioso tempo em que poderíamos estar nos dedicando a fazer mais dinheiro. Se tudo o que sonhamos, podemos fazer, como Walt Disney disse e fez, por quê sonhar com dívidas ao invés de sonhar com possibilidades de fazer mais dinheiro?

DEIXANDO O PASSADO PARA TRÁS
Já falei sobre isso inúmeras vezes aqui no blog, mas sempre é bom reforçar que nada podemos fazer pelo passado. Quando estamos com dívidas por causa de más atitudes em relação ao dinheiro no passado, parece que gostamos de ficar afirmando que estamos passando necessidades e que precisamos economizar o tempo todo. Nós nos escondemos do mundo bom, feliz e próspero à nossa volta imaginando que se olharmos para ele de novo, cairemos na mesma armadilha que montamos para nós no passado. Nada disso! Quando temos dívidas, precisamos organizar essas dívidas, esse é o primeiro passo. Precisamos organizar as nossas dívidas para saber o quanto devemos, deixar isso quieto em um canto, num bloco de papel ou num quadro e passarmos a criar na nossa mente, uma forma de como ganhar aquele dinheiro para saldar todas as dívidas. Não sei se me fiz entender, mas a questão não é olhar para o passado, é deixar o passado estático como ele realmente é e se dedicar a criar um novo futuro no presente, onde podemos atuar.

PENSANDO FORA DOS LIMITES DO EMPREGO
Muita gente que vem aqui ainda é empregado e pensa na sua empresa como solução para os seus problemas emocionais, financeiros e intelectuais. Entretanto seus pensamentos estão limitados dentro das quatro paredes do seu emprego. Geralmente, quando empregados possuem dívidas, eles fazem uma conta de quanto podem economizar mês após mês do seu salário para poder saldar aquelas dívidas em 12, 24 ou 48. Uma pessoa que trabalha dentro de outra empresa, como empregado, precisa pensar fora da caixa, criando oportunidades para ganhar mais dinheiro para si e até mesmo para o patrão.

Dentro dos seus planos para ganhar mais dinheiro, ele pode envolver a empresa em que trabalha e criar formas para que ambos ganhem dinheiro sem se colocar abaixo do seu chefe, mas falando de igual para igual. Da mesma forma, pode dedicar algumas horas do seu dia para finalizar as suas tarefas como empregado o mais rapidamente possível para ter tempo livre para pensar em outras formas de ganhar dinheiro para si.

AFASTANDO-SE DAS ANTIGAS AMIZADES
Nós somos totalmente influenciado pelo meio em que vivemos. Logo, se sonhamos com uma vida que é totalmente diferente da vida que temos hoje, temos que abandonar nossas atuais amizades ou, pelo menos, nos afastar delas para nos envolvermos com outro meio que nos impulsione e não nos distraia. Afirmo isso porque nós, seres humanos, somos muito distraídos e produto de nossos hábitos. Se passamos os últimos dez anos tomando cervejinha toda sexta-feira no bar com os amigos, é muito difícil resistir a oferta de um deles na próxima sexta-feira para tomar aquela cervejinha de novo. Para fugir da oferta, temos que traçar então uma rota de fuga para mudar radicalmente a nossa vida e a boa notícia é que só precisamos criar estes novos hábitos em trinta dias, que é o tempo necessário para um novo hábito “encarnar” no nosso corpo.

Vamos colocar as coisas da seguinte forma. Você deseja ter uma nova vida, livre de dívidas e super abundante de recursos como tempo e dinheiro, certo? Então tente imaginar como será a sua nova vida e coloque as pessoas que hoje convivem com você nela e reflita se todas as que convivem com você hoje, viveriam com você nesta nova realidade. Perdoe-me se estou sento muito frio nesta questão, mas devemos respeitar o momento das outras pessoas e a liberdade que cada uma delas tem para fazer o que bem entende. Se você pretende, por exemplo, viver uma vida em família, jantando com a esposa toda sexta-feira, aquelas amizades da fase de solteiro terão que ficar para trás. Não que você pararia de falar com elas ou se colocaria em uma posição de superior a elas. Você, simplesmente, seria sincero consigo mesmo em admitir que está em uma nova fase de vida. Uma fase na qual esta sua antiga amizade simplesmente não está.

O MUNDO ESTÁ CHEIO DE OPORTUNIDADES
Ao invés de fazer as contas para pagar as dívidas, faça as contas para fazer mais dinheiro. Se você está devendo dez mil reais ou precisa de uma renda 40% maior que aquela que vive hoje para viver mais confortavelmente, faça as contas de quantas pessoas precisa atender para gerar esta quantidade de dinheiro. Dez mil reais, por exemplo, equivalem a mil pessoas pagando dez reais cada uma para você. Assim como também poderiam ser cem pessoas pagando cem reais cada uma. Você consegue perceber a diferença do pensamento focado nas dívidas para o pensamento focado na geração de dinheiro? Mais do que isso, este é um pensamento focado na geração de valor para as outras pessoas, porque logo depois de você ter feito essas contas, você precisa criar algo que as pessoas paguem cem ou dez reais para você. Esse algo, será fruto dos seus talentos inatos e do seu empreendedorismo e sua mente será a fonte de um turbilhão de modelos de negócios simples e lucrativos.

Nós somos tão bobos e tolos que não enxergamos as coisas que têm mais prioridade na nossa vida e damos atenção a outras tão mesquinhas ao mesmo tempo. Se um sinal de trânsito fecha a cada um minuto e fica aberto por outros quatro minutos e, neste um minuto em que ele fica fechado, vendemos dois saquinho de balas por R$1,00 com lucro de R$0,80 por saquinho, em uma hora lucra-se R$19,20 e em quatro horas lucra-se R$76,80.

Em um mês, trabalhando quatro horas por dia, cinco dias por semana, atingimos o valor de R$1536,00 de lucro no nosso pequeno negócio de venda de bala em sinais.

Se você ainda é empregado e ganha menos ou cerca de dois salários mínimos por mês me desculpe, mas você está no lugar errado. Deveria estar vendendo bala no sinal de trânsito mais próximo e engarrafado da sua casa ao invés de pegando ônibus e trem lotado para chegar em um trabalho que te consome oito horas por dia, fora as horas de engarrafamento.

Vamos pensar fora da caixa gente. Tem muita coisa enraizada no senso comum da nossa sociedade que está totalmente errada. Sentimos vergonha de ir vender bala de bermuda e camiseta em liberdade no sinal porque preferimos pegar ônibus e trem lotado de camisa e calça social cheio de dívidas e problemas para ir ao escritório. Bullshit!

Faca nos dentes galera! Vamos pra cima fazer muito dinheiro!
Marcos Rezende - Empreendedorismo
Empreendedor e orientador de carreira para empreendedores
http://www.insistimento.com.br
« Voltar
 
Desenvolvido por:
Portal Big Belém - Aqui estão os melhores de Belém!
Rua Arcipreste Manoel Teodoro, 428 - CEP: 66015-240
Batista Campos - Belém/PA
Fone: (91) 3263-0989
Sistema Antistress: